Vereador participa da inauguração da Delegacia da Mulher

por Konrad Felipe/Assessor de imprensa da Câmara de Barra do Garças — publicado 14/03/2016 15h05, última modificação 14/03/2016 16h12
Colaboradores: SESP-MT
O vereador Comandante Barbosa (sem partido) acompanhou na tarde de sexta-feira (11/3) a inauguração da Delegacia da Mulher que será especializada no atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica e que agilizará os inquéritos policiais relacionados ao assunto. A inauguração aconteceu na semana em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher, e contou com as principais autoridades judiciárias do município, além do prefeito Roberto Farias (PMDB).

O vereador Comandante Barbosa (sem partido) acompanhou na tarde de sexta-feira (11/3) a inauguração da Delegacia da Mulher que será especializada no atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica e que agilizará os inquéritos policiais relacionados ao assunto. A inauguração aconteceu na semana em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher, e contou com as principais autoridades judiciárias do município, além do prefeito Roberto Farias (PMDB).

Na oportunidade, o prefeito destacou o recurso de R$ 30 mil que a prefeitura contribuiu para a construção da delegacia. “É uma conquista para a cidade que há muito tempo reivindicava por um espaço adequado para atender as mulheres vítimas de violência e nosso governo sempre tem sido parceiro da segurança pública, prova disso que fizemos a doação de R$ 70 mil reais para a reforma da cadeia e a construção da delegacia da mulher”, lembrou.

 

Para o vereador Com. Barbosa, é um sonho realizado para segurança pública do município. “Pra nós que representamos a segurança pública é um sonho essa delegacia especializada da mulher. E o que é importante ressaltar é a união do poder executivo e judiciário da nossa cidade em disponibilizar recursos para a construção dessa delegacia, espero que as pessoas atendidas sintam-se em casa”.

 

 

Debora Cardoso de Moraes Santos, delegada de polícia da delegacia especializada da defesa da mulher, falou sobre as novas instalações da delegacia. “A delegacia não tinha um espaço próprio para exercermos nossa atividade com dignidade. Agora com esse espaço, creio que daremos melhores condições para o atendimento as mulheres e de trabalho para os servidores”.

 

 

O delegado Heródoto Fontenelle explicou que as denúncias de violência contra a mulher têm crescido devido às frentes de enfrentamento. “Os grupos de enfrentamento das redes de defesa da mulher, nos proporciona mais um enfrentamento de combate à violência contra a mulher, isso faz com que as denúncias cresçam e melhorem nosso resultado de apuração dos fatos, melhorando nossa transparência de trabalho e o combate da violência”.

A Delegacia da Mulher atende tanto as mulheres, vítimas de agressão ou ameaça, como crianças vítimas de violência sexual e/ou familiar ou em situação de abandono e, ainda, idosos. Os procedimentos, nesta espécie de delegacia, são diferenciados, mais rápidos e eficazes e colocam a vítima numa situação de proteção e amparo. Quando uma mulher chega ao local, ela é ouvida rapidamente, onde é feito um termo de declaração e depois registrado o Boletim de Ocorrência. Se há lesão corporal, rapidamente é encaminhada ao exame de corpo de delito e, se couber a medida ao caso, é encaminhado ao juízo competente, de imediato, um pedido de medida restritiva.

EM MT - Em apenas 11 meses, 561 homens foram presos apontados como autores de crimes de violência contra a mulher em Cuiabá. Os dados - um balanço parcial de 2015 - são da Delegacia de Defesa da Mulher na capital e referem-se a prisões efetuadas tanto por cumprimento de mandado de prisão quanto por flagrante. Nesse mesmo período, foram instaurados 3.346 inquéritos policiais que apuram casos de violência doméstica e estupros cometidos por terceiros na capital. Desse total, 3.117 foram concluídos.

Nas estatísticas estaduais em relação aos índices nacionais, conforme o Mapa da Violência no Brasil de 2015, Mato Grosso é o 9º colocado em números da violência contra a mulher, com 15,5 homicídios para cada cem mil habitantes, no mediação entre 2003 e 2013, com índices decrescentes. O estado mais violento do país com suas mulheres é Roraima, com 343,9 homicídios para cada cem mil habitantes, no mesmo período. Tendo também decréscimo nos últimos anos, onde hoje encontra-se com 141 homicídios para cada sem mil habitantes, Roraima continua na frente nesta triste estatística.

BRASIL - Apesar de ser um crime e grave violação de direitos humanos, a violência contra as mulheres segue vitimando milhares de brasileiras reiteradamente: 38,72% das mulheres em situação de violência sofrem agressões diariamente; para 33,86%, a agressão é semanal. Esses dados foram divulgados no Balanço dos atendimentos realizados de janeiro a outubro de 2015 pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR).