Presidente da Câmara de Barra do Garças convoca Audiência Pública para debater desocupação de ambulantes das calçadas.

por Reinaldo Silva Correia publicado 04/07/2019 17h43, última modificação 04/07/2019 17h43

O presidente da Câmara Municipal de Barra do Garças, vereador Dr. Joãozinho, preocupado com a situação dos comerciantes informais de Barra do Garças que receberam ordem judicial para que deixem as calçadas onde praticam os seus comércios, resolveu marcar para a tarde desta quinta-feira (04), às 15h, audiência pública que visa discutir e encontrar uma solução imediata para que os mesmos não venham a ser prejudicados e tenham os seus serviços cessados no centro da cidade.

O vereador explicou ao Chocolate News, que a ideia e debater exaustivamente com os comerciantes e população em geral a fim de, ser encontrada uma alternativa para sanar o problema e que os mesmos possam seguir suas vidas trabalhando e ganhando o pão de cada dia para a sustentabilidade de suas famílias.

- Este assunto veio a tona na sessão ordinária da última segunda feira e nós, vereadores de Barra do Garças, não podemos ficar inertes perante uma situação tão emblemática onde de um lado está a determinação judicial e do outro os nossos comerciantes informais que dependem do espaço para garantir o pão de cada dia - disse o presidente.

A reportagem do Chocolate News esteve em conversa com representantes dos comerciantes e os mesmos informaram que houve uma reunião no início da semana onde foi discutido o tema da desocupação dos espaços, segundo determinação judicial.

- É uma tremenda covardia o que estão fazendo conosco! - bradou um deles.

- Querem tirar o sustento de nossas famílias! - disse outro.

- Olha, não podemos nos curvar diante de tal situação. Somos trabalhadores honestos e queremos apenas tirar o sustento de nossas famílias. Passamos madrugadas inteiras sob frio e chuva trabalhando para levar o pão para casa. Muitos de nós já foram assaltados mas fazer o quê? É preciso trabalhar. Hoje somos mais de cem comerciantes informais espalhados pela cidade. Precisamos que as autoridades entendam e revejam esta decisão de nos proibir de usar as calçadas no período noturno onde é miníma a passagem de transeuntes, sem dizer que pagamos alvará para trabalhar e respeitamos o espaço de 1,20 m da calçada. Não queremos virar bandido pois a grande maioria aqui são pessoas de idade que não vão arrumar outro tipo de serviço. O desemprego cresce a cada dia neste país. É melhor trabalhar do que roubar não é mesmo? - finalizou um comerciante indignado.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.