Aumento da tarifa da água e desemprego foram questões em pauta da Sessão da Câmara Municipal

por Deógenes Nogueira publicado 18/03/2021 15h45, última modificação 18/03/2021 15h46
A população de Barra do Garças é a prioridade para os servidores que foram escolhidos para realizar a sua representação

Conforme explicado em nota através da TV Câmara, por motivos técnicos não foi possível realizar a sessão ordinária no dia 15 de Março, tendo acontecido no dia 16 de Março com a presença dos vereadores e servidores, respeitando todos os protocolos de segurança. 

Como de costume, foi realizada uma leitura do trecho bíblico e executado o hino do Município de Barra do Garças. Em seguida, foi dado início ao grande expediente com o discurso em plenário do vereador José Gota (PSDB). 

O parlamentar mencionou o novo aumento da tarifa de água em Barra do Garças, previsto para o mês de Julho deste ano. Tal reajuste não está de acordo com a lei, que define aspectos prévios à aprovação de alterações neste caráter relacionados a divulgação, consulta pública e participação da Câmara no processo de aprovação.O vereador Dr. Jaime (MDB) também mencionou a questão do aumento da tarifa de água e fez ressalva a campanha de vacinação que teve início no dia 17 de Março, para os cidadãos com 78 anos na localidade da Feira Coberta e na escola Adelice Farias. Além disso, foi mencionada a questão dos comerciantes afetados pelo decreto de restrição de circulação imposto pelo Governo do Estado do MT, estendido até o final do mês.

O vereador Guinha (PSD) também se manifestou contrário ao decreto, direcionando sua fala para a preocupação com a escassez de empregos no município e a falta de atenção aos trabalhadores noturnos neste período crítico. 

Ainda sobre o decreto, o vereador Jairo Gehm (PRTB) sugeriu uma força tarefa para impedir que o mesmo se prolongue ainda mais, sem as devidas assistências à população.

Já o vereador DR. Neto (PSB) iniciou sua fala agradecendo ao prefeito e ao secretário pelo mutirão de limpeza realizado no distrito de Indianópolis. Além disso, fez questão de manifestar seus pêsames à família do Deputado Sílvio Fávero (PSL) que faleceu em virtude da Covid-19, estendo às muitas famílias que perderam seus entes queridos para a doença que assola o mundo.

O presidente da casa, Pedro Filho (MDB) manifestou sua consternação a respeito do aumento na tarifa da água e garantiu que o parlamento jamais se furtará da suspensão dessa possibilidade.

Foi ventilada a possibilidade do comitê de crise no combate à Covid-19, conforme mencionado pelo vereador Jairo Gehm. Além disso, o presidente revelou que houve a comunicação da receita federal com uma dívida do parlamento, no montante no valor de R$300.000,00. 

É por este e outros motivos que esta gestão tem empregado a austeridade e fazer todo o possível para economizar e avaliar as possibilidades para o pagamento da dívida.

O presidente também comunga com a fala dos colegas a respeito do decreto e sugere procurar outra solução para sanar os problemas que a Covid-19 assola, no município e no Estado.

Por fim, o parlamentar comentou a respeito de notícia veiculada que tentou macular a imagem do parlamento, informando de maneira dúvida a proposta de estudo de viabilidade para a construção de uma nova sede para o Legislativo no município. 

O parlamentar leu uma nota destinada à sociedade de Barra do Garças para esclarecer que não houve votação de projeto nesse sentido. O que aconteceu foi apenas uma consulta para estudos e viabilidade, onde não se delimitou detalhes como datas ou custos. 

 Na nota, o presidente Pedro Filho destacou que vem fazendo uma gestão de responsabilidade com o dinheiro público e que vem contando com o apoio dos colegas vereadores que se comprometem em enxugar a máquina, evitando gastos desnecessários.

Para exemplificar a lisura na gestão da casa de leis do município, o presidente mencionou o montante de R $572.000,00, economizados nos primeiros 60 dias de mandato, que demonstram comprometimento, austeridade e aplicação dos recursos públicos naquilo que realmente é necessário.

A consulta tem por objetivo estudar maneiras de investir adequadamente os quase R $900.000,00 anuais, que são investidos pelo município em aluguéis. Valor que poderia ser investido em áreas como saúde, educação e infraestrutura, revertidos para o benefício efetivo da população barra-garcense.

É com o olhar voltado para o povo que a Câmara Municipal de Barra do Garças irá encontrar uma saída, assim como vem fazendo dia após dia para enfrentar essa crise que estamos vivendo neste momento.

Encerrando os esclarecimentos, o presidente apresentou as expectativas de melhoria que o trabalho dos vereadores tem apresentado para a população, autorizando o Executivo a aplicar mais em saúde e educação.

A população de Barra do Garças é a prioridade para os servidores que foram escolhidos para realizar a sua representação perante as demandas e questões que afetam diretamente a sociedade. A idoneidade questionada, felizmente, foi um fato isolado que partiu de intenções duvidosas para com a transparência, clareza e verdade que a Câmara Municipal dos Vereadores apresenta para com o povo da amada Barra do Garças.