Vereadores falam em trancar pauta até que se revolva alagamentos em Barra

por Da Redação / Foto: Semana7 / www.semana7.com.br — publicado 09/11/2018 14h48, última modificação 09/11/2018 14h48
Após o início do período de chuvas, o bairro Jardim Nova Barra vive dias difíceis com constantes alagamentos

Nove dos 15 vereadores disseram que não vão votar nenhum projeto do Poder Executivo enquanto não se revolver o problema dos alagamentos no Jardim Nova Barra. A declaração foi feita ontem (08), aos moradores numa reunião ocorrida no salão paroquial da igreja católica no setor, que iniciou às 8h com apresentação de vídeos da melancólica situação.

Após as incisivas críticas, uma comissão composta por nove vereadores foi ouvir moradores do Nova Barra e relatar o estavam fazendo para tentar solucionar o problema.

O vereador Julio Cesar (PSDB) foi um dos primeiros a usar a palavra para justiçar mais de 200 indicações pedindo soluções aos inúmeros problemas ocorridos no bairro. “Nosso dever é cobrar do Executivo, a ação depende dele [prefeito]”, disse.

Alex Matos (PRB) apresentou o projeto alternativo elaborado pelo setor de engenharia da prefeitura e informou que será dez vezes mais em conta que o do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), orçado em aproximadamente 30 milhões de reais. O vereador também justificou que o problema dos alagamentos se dá devido às obras do Anel Viário de responsabilidade do Dnit.

Alguns moradores questionaram a responsabilidade dos estragos causados pelos alagamentos. Eles reclamam da perda de móveis, eletrodomésticos, do próprio imóvel e do impacto psicológico que sofrem pela não finalização da obra.

Na opinião do vereador João Rodrigues (Dr. Joãozinho) (PDT), a responsabilidade seria da prefeitura e que necessitaria de uma ação coletiva para tentar uma indenização. Sobre a execução da obra, diz ele: “a prefeitura não tem capacidade financeira de tocar essa obra sozinha. Precisaremos juntos aos governos estadual e federal, buscar recursos para sua conclusão”, pontuou.

Os vereadores se comprometeram em colocar, no orçamento de 2019, o valor de cerca de 3 milhões de reais, necessário para o prefeito executar. Segundo eles, só assim será possível eliminar esse problema o mais rápido possível. Na visão dos vereadores, se a obra for executada pelo Dnit, irá demandar muitos anos.

Uma comissão formada por moradores, irá se reunir hoje (9) às 16h com o procurador federal Guilherme Tavares, do Ministério Público Federal. A prefeitura recebe na próxima segunda-feira (12), o superintendente regional do Dnit, Orlando Fanaia, que já se comprometeu a sanar o problema.

Participaram da reunião os vereadores Gustavo Nolasco, Gabriel Pereira (Zé Gota), Alex Matos, Celso Souza, Valdeí Guimarães, Julio Cesar, Geralmino Neto (Dr. Neto), Murilo Valoes e Dr. Joãozinho, além o advogado e membro OAB, Domingos Sávio.

No início da semana (5), os secretários de Obras, de Planejamento e o chefe de Gabinete fizeram compromisso com os vereadores de manter homens e maquinários à disposição para agir assim que houver problema no local.