Barra do Garças

por Câmara de Barra do Garças — publicado 02/12/2015 12h40, última modificação 19/02/2016 15h43
História de Barra do Garças - MT

 

Etimologia Toponímica: Barra - Substantivo feminino. Termo que vem do celta "barr" e designa pedaço ou desembocadura de rio, foz (AH, PJMS). DO - contratação da preposição "de" (posse), com o artigo masculino "o". GARÇAS - Substantivo feminino plural. É palavra de origem geográfica e etimologicamente controversa, Trata-se de referência ao Rio Garças, que nasce em território mato-grossense e deságua no Rio Araguaia, divisando as cidades de Barra do Garças e Pontal do Araguaia. O termo vem do pré-românico (céltica ou pré-céltica) “kárkia”, sendo adaptado ao latim lusitano “gartia”, designando aves ciconiiformes, da família dos ardeídeos, que possuem porte varado, pernas e dedos compridos, pescoço fino, bico longo e pontiagudo, são aquáticas, vivem em bandos e alimentam-se de peixes (PJMS, ABHF,AH).

Origem Histórica– A criação do município de Barra do Garças veio a ser uma encampação de Araguayana, ou seja, uma mudança de sede de Araguayana para Barra do Garças, passando Araguayana a distrito de Barra.

Um dos grandes nomes da historiografia barra-garcense é Antônio Cristino Côrtes, nascido em Boa Vista do Padre João (atualmente Tocantinópolis) e vindo para Registro do Araguaia (Barra do Garças), a convite do amigo Francisco Bispo Dourado em torno de 1914, onde se estabeleceu. Inicialmente abriu uma sapataria e mais tarde a pedido do Juiz de Direito, Dr. Deoclesiano de Couto Menezes, assume cargo representativo, sendo em pouco tempo pessoa chave dentro da comarca.

Nesta época Cristino Côrtes conheceu o engenheiro agrônomo José Morbeck, chefe supremo dos garimpos do leste, de quem se torna grande amigo. Juntos, Côrtes e Bispo Dourado partem para aventura garimpeira, sendo bem sucedidos. Alguns anos depois estourou a guerra garimpeira do Garças, entre Morbeck e Carvalinho, tendo Crstino Côrtes ficado ao lado do amigo. Passada a fase turbulenta a paz reinou na região.

Antônio Cristino Côrtes dedicou-se a formar a futura cidade de Barra. Alinhou as primeiras ruas, designou as primeiras pedras, distribuiu lotes. De baliza em punho, bancou o engenheiro e arquiteto. Marcou a avenida, que hoje leva seu nome. E dirimiu questões de toda espécie. Em 15 de fevereiro de 1985, Barra do Garças comemorou o centenário de nascimento  de Antônio  Cristino Côrtes, erigindo um busto de bronze ao benemérito barra-garcense.

A primeira empresa comercial foi aberta em 1924, por Emiliano Costa, tendo como auxiliar Antônio Paulo da Costa Bilego, e a primeira escola foi criada em 1932, sendo professora Antonia Almada – Dona Nanzica.Neste ínterim pisaram este chão os homens da Coluna Prestes, que pretenderam incorporar-se aos garimpeiros do leste, sem, no entanto, fazê-lo.

O Decreto nº. 32, de 21 de Dezembro de 1935, criou o Distrito de Paz de Barra do Garças. Neste mesmo momento ano o Estado criou a Escola Rui Barbosa, sendo professor o Sr. Newton Jerônimo do Carmo. Madalena Lira, filha de Francisco e Ana Lira foi a primeira criança nascida em Barra do Garça, no entanto, o primeiro registro civil coube a Cipriano da Silva, filho de José Sabino da Silveira. Basílio Bispo Dourado foi o primeiro Juiz de Paz de Barra do Garças e Ana Dolores Peres Bilego a primeira escrivã.

Barra do Garças tornou-se pólo de desenvolvimento com a chegada da Fundação Brasil Central, no início dos anos quarenta. A base era Aragarças, mas Barra servia necessariamente de ponto de passagem para os membros da Fundação. A partir de então Barra recebeu o afluxo de progresso e melhoramento de tal forma, que costumes importados, tidos como mais aprimorados, passaram a condicionar a ação e reação das pessoas, inspirados nos grandes centros: novos gestos, novas vestes, nova vida sócio-econômica.Inclusive suplantando lideranças regionais: Baliza, Lajeado, Rio Bonito e Iporá, centros famosos de ensino e economia.

A Lei n.121, de 15 de Setembro de 1948, criou o município de Barra do Garças. “Artigo1º - O Município de Araguaiana passa a ter denominação de Município de Barra do Garças”. Artigo 2º - Fica a sede do Municipio transferida para Barra do Garças, que é elevada à categoria  de Cidade”.

Na verdade Araguaiana era a denominação nova de Registro do Araguaia, que por sua vez era a denominação do primeiro município da região leste mato-grossense. Assim, Barra do Garças tornou-se em extensão, o maior município do leste de Mato Grosso , gerando inúmeros outros municípios de seu território. Barra do Garças desenvolveu-se rapidamente com os projetos de colonização, aliados a planos de desenvolvimento do governo federal. A partir da década de 1960 nasceram colonizações e fazendas, sob a liderança política de Barra do Garças, que se tornou pólo regional de Mato Grosso.      

 

Fonte: Cidades de Mato Grosso - Origem e significado de seus nomes - João Carlos Vicente Ferreira e Pe. José de Moura e Silva